Comunidade – Todas

Programa Talita Cumi

 

Introdução:

 

Este projeto tem como perspectiva a mudança de vida e de atitude para os adolescentes e  jovens, de forma especial para aqueles que se encontram em situação de dependência de drogas lícitas e/ou ilícitas.

O projeto Talita Cumi nasceu a partir de uma experiência da Comunidade Católica Missão Maria de Nazaré, obra missionária que tem por carisma ser Mãe, gerar e formar vida nova.

O nome foi escolhido devido a uma passagem bíblica, evangelho de Marcos, capítulo 5, versículos 21-43. Nesta passagem, Jesus ressuscita uma adolescente que está morta, utilizando os seguintes dizeres: “Talita Cumi”, que quer dizer: “Menina, levanta-te”.

É este o principal objetivo deste projeto: trazer vida nova para os jovens que se encontram entregues aos mais diversos tipos de substâncias entorpecentes e que devido a dependência que possuem perderam o sentido de viver, estão como mortos.

Atualmente o uso abusivo de drogas lícitas e/ou ilícitas tem sido um dos mais graves problemas enfrentados por nossa juventude e nossa sociedade em geral. São inúmeros os malefícios trazidos pelo uso de drogas e estes malefícios vão além da questão de saúde, eles afetam, muitas vezes até com maior intensidade, outras áreas, tais como a relação familiar, aumento da violência e criminalidade, entre outras.

Estudos revelam que os adolescentes estão entre os principais usuários de drogas. Calcula-se que 13% dos jovens brasileiros entre 16 e 18 anos consomem maconha. Em 2001, cresceu o uso de crack e drogas sintéticas, como o ecstasy. Os consumidores de cocaína são os que mais procuram tratamento para se livrar da dependência, o qual é feito por meio de psicoterapias que promovem a abstinência às drogas e do uso de antidepressivos em 60% dos casos. Atualmente, cerca de 5% dos brasileiros são dependentes químicos de alguma droga.

“Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a dependência química é a oitava causa de solicitação de internação hospitalar. Dados da mesma fonte apontam a doença como responsável por 64% dos homicídios, 39% dos estupros, 80% dos suicídios, 60% dos casos de agressão a crianças, de 35% a 64% dos acidentes de trânsito e como terceiro motivo para afastamento do trabalho. O abuso de substâncias psicoativas causa danos de proporções alarmantes e a medicina se desdobra para conter o avanço da tragédia.

A dependência química é catalogada pela OMS como doença fatal e primária, ou seja, não é decorrente de nenhuma outra. Apenas um pequeno número de dependentes tenta e consegue deixar as drogas permanentemente.” (Dados extraídos do livro “Jovens Sarados” / Pe. Léo – 12. ed. – São Paulo: Editora Canção Nova, 2007)

Esse quadro é grave, mas pode ser mudado. Para tanto, faz-se necessário trabalhar o indivíduo dependente químico e todas as relações que o permeiam.

Por isso, o Projeto Talita Cumi visa não só recuperar o jovem de seu vício, mas a mostrar-lhe uma nova perspectiva de vida, um novo modo de viver. Através de propostas de trabalho que atraiam a este público, oferecer apoio espiritual, psicológico e de reinserção social.

O projeto Talita Cumi tem como lema: “Jovens novos para um mundo novo”, pois acredita que a mudança individual de cada um pode transformar a sociedade como um todo.

 

O PROJETO TALITA CUMI FAZ DUAS AÇÕES DIRETAS:

 

 

INTRODUÇÃO

Acolhemos adolescentes com a idade entre 12 a 18 anos incompletos, de ambos os sexos em duas unidades, num período seis a doze meses de forma voluntária por demanda espontânea.

Portanto a Comunidade Terapêutica possui uma abordagem ampla de tratamento intensivo através dos serviços de atenção em regime residencial de caráter transitório para uso e abuso de substancias psicoativas.

 

OBJETIVO

 

O Acolhimento tem como objetivo acolher adolescentes, dependentes de sustâncias psicoativas ilicitas, através de uma abordagem multidisciplinar, buscando uma evolução favorável para a redução do risco de recaída e aumento da qualidade de vida, através do desenvolvimento e potencialização das habilidades a partir do desenvolvimento de uma consciência crítica pessoal e do “equilíbrio” emocional.

 

PUBLICO ALVO

Adolescentes e jovens do sexo de ambos os sexos com idades de 12 a 18 anos incompleto, do município de Divinópolis e região, com capacidade máxima de 20 na unidade masculina e 24 na unidade feminina.

 

METODOLOGIA

 

A maioria dos modelos de tratamento focaliza principalmente a dependência da droga, embora esse seja o ponto central que leve o sujeito a procurar o tratamento, porém apresentam outros problemas associados ao uso abusivo de drogas. Acreditando nisso, criamos condições para que possa rever suas atitudes, sentimentos e emoções, para tentar mudar sua maneira de reagir frente às dificuldades e situações com que se defronta na vida pessoal e social, através da conscientização efetivando a responsabilização e conduzindo-o ao encontro de sua própria identificação. O tratamento tem duração de no mínimo seis meses e no máximo doze meses. Os meses são divididos em estágios- fases classificadas metaforicamente e ludicamente pelo sinal de trânsito, assim cada estágio se assemelhará a uma cor, respectivamente vermelho, amarelo e verde, e funcionará como diretriz estrutural do processo de tratamento. No programa os residentes realizam o objetivo de cada estágio ou fase, na maioria das vezes segundo uma escala temporal de acordo com o processo de mudança de posicionamento, também subjetivo. Assim como a maturação gestacional, o tratamento se conclui como forma de renascimento jovens novos para um mundo novo”.

De acordo com o quadro abaixo o tratamento é baseado na conscientização, no autoconhecimento e responsabilização, através de um tripé terapêutico a seguir.

1°Plano de terapia ocupacional: consiste em trabalhos realizados através da laborterapia( horticultura, avicultura, organização pessoal e estrutural), de atividades lúdicas( jogos), atividades lúdica – terapêuticas e profissionalizantes( oficinas de tapete, arte, dança, música), atividades pedagógicas(reforço escolar, aula de inglês e libras), atividade física (futebol, musculação), espaços de discussão supervisionada (Reunião do Desabafo, Assémbleias) e Grupo de Passeio(conhecer pontos turísticos da cidade, museus, teatro, cinema).

2° Plano de terapia espiritual: consiste na programação dos 12 passos da Pastoral da Sobriedade e atividades de desenvolvimento interior.

3°Plano de terapia psicológica e social: através de atendimentos individuais, grupais como grupo psicoterapêutico estruturado(reunião dos sentimentos), grupo temático, reuniões familiares e grupo cidadania.

Além da parceria com a rede socioassistencial, pois o tratamento nas Unidades de Aolhimento são uma passagem, ou seja, o início de um aprendizado e descobertas.

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar seu comentário

Palavra do Fundador

Agenda

SuMoTuWeThFrSa
 

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

31

 
 « ‹out 2021› »