Banner Principal Formações

O Conhecimento da Virgem Maria

A Virgem Maria, ou como geralmente a chamamos: Nossa Senhora, ocupa um lugar privilegiado na fé católica. Este privilégio, porém foi-lhe dada por mérito e graça, pois sua vida de completa dedicação ao projeto de Deus a fez merecer toda bem-aventurança (cf. Lc 1, 48), mas não só isso, por graça de Deus foi poupada de toda e qualquer mancha do pecado (CIC 491). Porém, não é possível compreender a criatura extraordinária que é Maria se não conhecermos bem o projeto de Salvação que Deus tem pra cada um de nós.

É muito oportunoMar seja proposto a reflexão da pessoa da Virgem Maria em meio a preparação desta escravidão a Jesus por meio Dela, pois Maria é a mulher por excelência. Não apenas por ser mulher escolhida por Deus para ser a mãe de seu Filho, mas também por dois motivos fundamentais, que inclusive são basicamente bíblicos: primeiramente por que desde a criação do mundo, quando Eva comete o pecado da desobediência, Deus se dirige a serpente dizendo: “Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e a dela. Esta te ferirá a cabeça e tu ferirás o calcanhar” (Gn 3, 15), esta passagem demonstra claramente que uma mulher se colocaria em oposição ao demônio, pois Deus não muda de Ideia, ou seja, do mesmo modo que o pecado entrou no mundo por meio de uma mulher (Eva) também viria a redenção por meio de uma (Maria). Prova disso é a saudação do Anjo Gabriel no momento da anunciação chamando-a de “Ave” (cf. Lc 1, 28), palavra que se invertida lê-se “Eva”. Podemos dizer que Maria é o contrário de Eva, ou a nova Eva, a nova mulher (tradição apostólica).

O Segundo motivo é que Jesus em vários momentos nos evangelhos se dirige a sua mãe chamando-a de mulher. Para muitos teólogos esta forma de Jesus se dirigir a Maria é uma maneira de rebaixa-la, os evangélicos inclusive utilizam destes trechos para justificar que Maria é uma mulher qualquer. Porém para a tradição católica é justamente o contrário, pois quando Jesus se dirige a sua mãe nas bodas de Caná (Jo 2, 4), ou no alto da cruz se dirigindo a João (Jo 19, 26) Ele está justamente dizendo que, do começo ao fim de sua vida pública, está é a Mulher que traria ao mundo a salvação vinda de Deus. Deste modo, podemos afirmar que o ventre de Maria é o “portal” no qual o divino se faz humano e o humano se faz divino.

No Tratado da Verdadeira Devoção a Santíssima Virgem (TDV), São Luiz vai também fazer algumas afirmações importantes acerca da Teotokos (Mãe de Deus). Ele diz que Maria é o caminho Fácil, Curto, Perfeito e Seguro para se chegar até Jesus (TDV 152, 155, 157 e 159). O Catecismo da Igreja também utiliza de alguns títulos para designar qual a dignidade e quais as qualidades, que por mérito e graça, podemos definir a Virgem Maria: Advogada (CIC 969); Cheia de graça (CIC 722); Escrava do Senhor (CIC 510); Mãe da Igreja (CIC 963); Nova Eva (CIC 411); Mãe de Deus (CIC 466); Sempre Virgem (CIC 499); Sede da Sabedoria (CIC 721).

Mas a final de contas, quem é a Virgem Maria? No começo de seu livro São Luiz responde com maestria: “Maria é a obra-prima por excelência do Altíssimo, cujo conhecimento e domínio ele reservou para si. Maria é a Mãe admirável do Filho, a quem aprouve humilhá-la e ocultá-la durante a vida para lhe favorecer a humildade, tratando-a de “Mulher”, como a uma estrangeira, conquanto em seu Coração a estimasse e amasse mais que todos os anjos e homens” (TVD 5).

POR VALDO JÚNIOR – MISSÃO MARIA DE NAZARÉ

 

Palavra do Fundador

Agenda

SuMoTuWeThFrSa
 

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

31

 « ‹jul 2021› »